Inspeção em estrutura porta palete

9 de maio de 2019

Apresentamos abaixo artigo publicado na revista CIPA – edição 476 – Maio 2019 realizada pelo Engenheiro Gustavo Cassiolato. Confira matéria na íntegra:

A armazenagem de produtos acabados, semi acabados ou matéria prima são muitas vezes realizados em estruturas porta palete nos mais diversos setores da economia.

Para garantir a segurança nos processos de estocagem, devemos nos atentar a diversos fatores que devem ser considerados antes mesmo da montagem das estruturas.

Antes da definição do modelo de estrutura e posicionamento do porta palete, devemos nos atentar aos seguintes requisitos:

  • Dimensão dos corredores;
  • Exposição a intempéries e ventos;
  • Equipamentos utilizados (empilhadeira);
  • Pé-direito;
  • Tipo de carga (atenção especial a produtos químicos);
  • Peso das cargas;
  • Capacidade de suporte do piso da instalação;
  • Dimensões dos materiais;
  • Rotatividade;
  • Sinalização;
  • Circulação de ar (principalmente na presença de componentes químicos);
  • Posicionamento de portas, saídas de emergência e equipamentos de combate a incêndio;
  • Acessibilidade.

A norma ABNT NBR 15524 apresenta orientações sobre o projeto, cálculo, montagem e utilização de estruturas tipo porta palete seletivos em sistema de armazenagem e é uma excelente ferramenta para ser utilizada em todas fases descritas acima.

É muito importante que as organizações estabelecem critérios para carregamento das estruturas porta palete, indicando como devem ser aplicadas as cargas e quais as configurações ideais de armazenagem consideradas nos cálculos para instalação como ilustrado abaixo:

Manter a informação da capacidade de carga em cada vão do porta palete é essencial para evitar carregamentos acima da capacidade, que pode gerar o colapso da estrutura e grandes acidentes.

Dois fatores importante para armazenagem de materiais em estrutura porta palete está relacionada a embalagem e ao palete utilizado.

Embalagem

A utilização de embalagens adequadas é uma forma de garantir a integridade de cada produto, evitando qualquer avaria durante a movimentação. Além disso, as embalagens também ajudam na identificação e separação. Isso faz com que as atividades do armazém sejam otimizadas.

Lembrando que alguns produtos exigem embalagens primárias e secundárias. As embalagens primárias são utilizadas para embalar cada unidade de produto. As embalagens secundárias reúnem determinada quantidade das embalagens primárias.

Palete

A paletização  facilita a movimentação dos produtos em maiores quantidades, fazendo com que gere mais velocidade nas operações.

O palete é um recursos essencial para utilização em estruturas porta paletes e sua escolha deve ser definida pela organização levando em consideração diversos fatores, uma vez que ele pode ser fabricado em madeira, plástico ou aço.

O palete de plástico não requer nenhuma manutenção, seu tempo de vida útil pode ultrapassar os 10 anos de uso e seu custo-benefício é percebido rapidamente, chegando a gerar uma economia de 75%. São Higiênicos e laváveis, dispensam a fumigação. Não oferecem riscos no manuseio pelos usuários. São 100% recicláveis e apresentam tempo de vida elevado.

O palete de madeira apresenta estrutura frágil, de fácil degradação quando exposto em ambiente externo e manunteção constante. Favorecem o acúmulo de bactérias, fungos e pragas. Lascas podem se despreender e ferir os usuários. Causa impacto ao meio ambiente devido ao desmatamento e tem tempo de vida reduzido.

O palete de aço são utilizados em locais que necessitam de robustez. São Higiênicos e laváveis, dispensam a fumigação. São pesados e há risco ergonômico. São 100% recicláveis e apresentam tempo de vida elevado.

Inspeção

A inspeção de estrutura porta palete é essencial para garantir a integridade da estrutura, indicando danos que possam comprometer sua estabilidade e eficiência. Através das inspeções, ações corretivas podem ser indicadas para corrigir possíveis danos que comprometam a segurança das estruturas.

Etiquetas de identificação são essenciais para os usuários identificarem as estruturas porta palete inspecionadas e aptas para trabalho, normalmente indicando através de um código de cores a periodicidade de inspeção atual. Etiquetas de interdição, fitas e demais sinalizações devem ser utilizadas em locais que apresentam danos e não podem receber cargas.

Choques mecânicos podem ocorrer na condução de equipamentos, mesmo que sejam operados por profissionais capacitados e com experiência. Proteções devem ser instaladas na estrutura porta palete para evitar choques nas bases dos pilares e demais locais com grande probabilidade de choques.

Dividimos a inspeção em estrutura porta pallet da seguinte forma:

  • Inspeção diária: detectar anomalias facilmente visíveis, como longarinas ou montantes deformados, falta de prumo na montagem, recalques no piso, ausência de calços, produtos deteriorados ou armazenados de maneira incorreta. A reparação deve ser realizada imediatamente.
  • Inspeção semanal: detectar a verticalidade e inclinação da estrutura e todos os elementos do 1º e 2º níveis e notificação, qualificação e comunicação de danos.
  • Inspeção mensal: verificar a verticalidade de todos os níveis, aspectos gerais como limpeza e notificação, qualificação e comunicação de danos.
  • Inspeção anual: realizada por terceira parte ou pela orgaização, deve verificar todos os itens acima com a notificação, qualificação e comunicação de danos.
  • Inspeção extraordinária: deve ser realizada quando ocorrer qualquer evento que comprometa a integridade da estrutura.

 

Sempre que ocorrer uma nova alteração no layout ou mudança entre os níveis das estruturas existentes, o usuário deverá realizar uma nova inspeção a fim de garantir a integridade da estrutura e manter documentação técnica atualizada.

Nas inspeções anuais do porta palete, devem ser analisados os seguintes itens:

  • Etiquetas de identificação de carga;
  • Verticalidade da estrutura;
  • Posicionamento dos paletes sobre os pares das longarinas;
  • Efetividade de calços, bases, chumbadores, protetores de coluna e de conjunto;
  • Corrosão nas estruturas ou chumbadores;
  • Existência e efetividade das travas de segurança e dos dispositivos de travamento;
  • Evidência de falhas ou trincas, nas soldas ou nos materiais;
  • Condições do piso;
  • Montagem inadequada;
  • Condições dos paletes;
  • Capacidade máxima de carga indicada;
  • Excesso de carga;
  • Evidências de danos na estruturas provocados por batidas/impactos de empilhadeira;
  • Avaliação dimensional nos locais com avarias (longarinas, montantes e demais elementos estruturais);
  • Estabilidade das unidades de carga.

 

As inspeções mensais, anuais e extraordinárias devem ser registradas em livro próprio desde a instalação (comissionamento) e serem realizadas por profissional capacitado – Trabalhador que recebeu capacitação sob orientação e responsabilidade de um profissional habilitado. Devem ser registradas todas as ocorrências capazes de influir nas condições de segurança da estrutura.

Critérios de inspeção – porta palete

Uma avaliação dimensional deve ser realizada em locais que apresentarem deformações. As deformações máximas admissível em estrutura porta pallete estão descritas na norma ABNT NBR 15524 e são ilustradas abaixo , onde devem ser avaliados os montantes, longarinas e demais elementos estruturais.  Um profissional qualificado deve realizar as medições e na indicação de danos acima do apresentado abaixo, deverá inutilizar o equipamento e promover sua manutenção imediata.

Valores máximos de danos referentes aos montantes:

Valores máximos de danos referentes as longarinas carregadas:

 

Colapso da estrutura – porta palete

Em estruturas porta-palete, quando há danos, o colapso pode não ser instantâneo e demorar até 24 horas para ocorrer. Dependo do local de aplicação pode ter consequências de elevada magnitude devido ao colapso progressivo. Portanto, a inspeção periódica nas estruturas porta paletes são essenciais para garantir a estabilidade e eficiência das estruturas, provendo ações para garantir sua segurança.